Semana passada uns amigos estavam me perguntando por que utilizar papel reciclado em lugar de papel branco. Eu falei que era por uma questão de cuidado com o meio-ambiente além de ser uma atitude politicamente correta. Em abril de 2007 quando estava escrevendo o artigo O Direito e o desenvolvimento sustentável enviei um e-mail para a ABNT e outro para uma indústria de papel (uma das maiores do Brasil).

Para ABNT escrevi o seguinte:
Ilustríssimos Senhores,
Estou elaborando um trabalho sobre direito ambiental e me ocorreu após a conclusão imprimir o trabalho em papel reciclado, mas a faculdade estabelece que sejam respeitadas as regras da ABNT que determina a impressão em folha branca e apenas de um lado. Vou fazer um requerimento junto à coordenação do curso para ser autorizado a realizar o trabalho em papel reciclado e com impressão em ambas as faces. Preocupado com os desdobramentos do impacto das nossas ações ao meio ambiente e considerando que esta instituição é mais do que tudo uma formadora de opinião venho clamar que as normas sejam revistas tornando obrigatória a impressão em papel reciclado e em ambas as faces já que livros, revistas, jornais são dessa maneira impressos ou que ao menos a utilização desse material seja facultativa. A brancura dos papéis é obtida com base em processos químicos que causam danos ao meio ambiente além das informações abaixo que sei são do conhecimento de Vs. Sas.

A cada 28 toneladas de papel reciclado evita-se o corte de 1 hectare de floresta (1 tonelada evita-se o corte de 30 ou mais árvores).
1 tonelada de papel novo precisa de 50 a 60 eucaliptos, 100 mil litros de água e 5 mil KW/h de energia
1 tonelada de papel reciclado precisa de 1.200 Kg de papel velho, 2 mil litros de água e 1.000 a 2.500 KW/h de energia.
Com a produção de papel reciclado evita-se a utilização de processos químicos evitando-se a poluição ambiental: reduz em 74% os poluentes liberados no ar e em 35% os despejados na água.
A reciclagem de uma tonelada de jornais evita a emissão de 2,5 toneladas de dióxido de carbono na atmosfera
O papel jornal produzido a partir das aparas requer 25% a 60% menos energia elétrica que a necessária para obter papel da polpa da madeira. O papel feito com material reciclado reduz em 74% os poluentes liberados no ar e em 35% os despejados na água, além de reduzir a necessidade de derrubar árvores.
Fonte : http://www.pucpr.br
Post Direito Ambiental II

Na primeira resposta da ABNT tínhamos:
“Sua idéia é muito interessante. Proponha-a ao nosso comitê responsável: CB14 – Informação e documentação.”

Fiquei cheio de esperança e enviei para o local sugerido mas…veio o balde de água fria…
“Prezado Alexandre,
Todas as informações que estão mencionadas em seu e-mail são de nosso conhecimento também.
Gostaria de informar-lhe que sua sugestão está anotada assim como as demais que nos são enviadas.
As Normas assim como as Leis (acredito), para serem revistas, devem obedecer a critérios estabelecidos por seus organismos responsáveis.
Em minha opinião acho que as punições aplicadas aos marginais não estão corretas e nem por isso as leis são alteradas.
Acredito realmente que o meio ambiente deva ser preservado, aliás, sempre defendo esta idéia e a ABNT possui Normas a respeito.”

No caso da indústria de papel eu perguntei qual o motivo que torna os papéis reciclados mais caros que os papéis comuns? e obtive a seguinte resposta:

Alexandre, boa tarde!

Conforme sua manifestação, esclarecemos que um dos fatores que tornam o papel reciclado mais caro que o branco, é porque a escala produzida é baixa, pois a demanda deste produto ainda é muito pequena em relação ao mercado.
Outro fator responsável por essa diferença de preço, é porque o material adiquirido precisa de um tratamento mais elaborado para sua utilização final.
Apesar do processo de produção do papel reciclado não ser um processo barato, a reciclagem gera empregos e outras atividades remuneradas, além de despertar a consciência e simpatia do consumidor.
Certos de sua compreensão, permanecemos à disposição por meio do SAC para mais informações.

Imaginemos hoje temos bancos como Bradesco (maior banco privado da América Latina), Itáu, ABN Real (Santander), empresas como Redecard, Visa, só para citar algumas, que se utilizam exclusivamente de papéis reciclados em todos os seus impressos mas, ainda assim é pouco para que se obtenha uma produção numa escala maior e que justifique preços mais competitivos… te toda forma, como diz um amigo meu, “a luta continua companheiro” isso foi em 2007 talvez esse ano a coisa melhore já vejo muito mais pessoas utilizando papel reciclado. Isso é uma gota no oceano mas, de grano in grano…

Saudações cordiais,
Alexandre Kruschewsky
ahrk@novosdireitos.com.br